Zentrum Paul Klee em Berna

Paul Klee (1879-1940) nasceu nas proximidades de Berna e é um renomado pintor suíço posteriormente naturalizado alemão. Eu nunca tinha ouvido falar dele até ler a respeito de Berna e descobrir que muitas telas suas estão expostas em um museu construído em 2005. É que com a doação, por parte da nora de Klee ao Cantão de Berna de centenas de obras do artista, a capital suíça resolveu construir um centro de exposições apenas para homenagear seu ilustre filho. 

Para se alcançar o Zentrum Paul Klee basta pegar um ônibus no centro de Berna e, atravessando o Rio Aar, acima do local onde ficam os ursos, chega-se a este centro de exposições muito bonito:

DSC05641

A mim pareceu que estas três “ondas” do Zentrum (abaixo, a primeira foto é minha e a segunda extraí do wikipedia) lembram muito prédios projetados por Niemeyer como o Complexo da Pampulha em Belo Horizonte (que é, aliás, uma Tentativa de Inscrição como Patrimônio da Humanidade do Brasil) e alguns pavilhões no Parque do Ibirapuera em São Paulo. Mas o arquiteto responsável pela obra suíça foi o italiano Renzo Piano.

DSC05640

File:Paul-klee-zentrum-ansicht-zoom.jpg

Como eu não sabia nada sobre Paul Klee, comprei um “guia” no próprio Zentrum sobre sua vida e arte. O “guia” na verdade é um livro de 150 páginas com a biografia do artista e a descrição das obras lá expostas. Eu pedi um capuccino e fiquei um bom tempo lendo na cafeteria antes de desbravar o acervo do Zentrum.

Eu havia lido que acontece com o Centro Paul Klee o mesmo que ocorre no Museu Van Gogh em Amsterdã: embora o museu seja dedicado com exclusividade ao artista e contenha algo em torno de 40% das telas que produziu, suas principais obras não estão lá, mas espalhadas por museus mundo afora. De qualquer forma, o acervo é grande, variado e muito bem exposto. A mera arquitetura do Zentrum já faz valer a visita. 

Quanto a Paul Klee, eu fiquei bastante surpreendido com a extrema diversidade de estilos em suas telas, algumas claramente impressionistas, outras cubistas, algumas completamente abstratas e belos “jogos de cores” Eu concordei com um texto que li a seu respeito no sentido de que Paul Klee é “inclassificável”.

Além disto, percebi que algumas telas têm traços bem “infantis”. No piso inferior do Zentrum estava uma exposição temporária Eiapopeia: a criança dentro de Klee. Eu achei genial o fato de que Klee orgulhava-se dos desenhos e traçados que ele havia feito enquanto era criança e os expunha sem qualquer vergonha. É como se ele valorizasse a percepção do mundo que tinha aos 8 anos de idade tanto quanto a que tinha aos 48.

As telas que mais gostei (e não necessariamente são as mais “importantes” do acervo) são as abaixo:

Insula dulcamara

O homem cinza e a costa

Frutas em azul

High Spirits

A última natureza morta

3 respostas para “Zentrum Paul Klee em Berna”

  1. Q lindo, João! Adorei seu assunto sobre o Zentrum Paul Klee. Morri de inveja pelo capuccino, pois olho aquele espaço e penso exatamente nisso! Também me lembra muito as formas arredondadas do Niemeyer! A informação que tenho é que foi Berna que durante anos quiz fazer um espaço para ele, e que a família não gosta de chamar de museu. No meio das negociações, um casal- Maurice Muller e sua esposa- doaram para esse projeto, cerca de 40milhões mais o terreno e foi inaugurado como você disse em 2005. As formas de ondas, se refere à música que também fazia parte da vida de Paul, já que seu pai era músico e queria que ele seguisse carreira.Eu li uma entrevista do único neto dele, Alexander. Ah…obrigada! Ficou ótimo!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *