Novos Patrimônios da Humanidade/2016–Pampulha pode ser o 20.º Patrimônio da Humanidade do Brasil

O Comitê do Patrimônio Mundial (WHC) está reunido em Istambul, na Turquia, neste mês de jul/2016 para deliberar sobre as novas inscrições na Lista dos Patrimônios da Humanidade, assim como reapreciar e atualizar a Lista do PH em Perigo. Todas as avaliações pelos órgãos técnicos ICOMOS e IUCN já foram feitas e são 28 as Tentativas de Patrimônio da Humanidade indicadas para apreciação.

Há boa notícia para o Brasil: o Conjunto Arquitetônico da Pampulha, em Belo Horizonte, recebeu aprovação do ICOMOS e deverá ser inscrito como o 20.º Patrimônio da Humanidade no Brasil.

Também estou contente com duas Tentativas que já visitei e que podem ser inscritas: As Obras de Arquitetura de Le Corbusier, que é uma tentativa trasnacional (Índia, França, Suíça, Alemanha, Argentina, Bélgica e Japão). Visitei o edifício japonês desta TPH e é bem fácil visitar o componente argentino, que fica na cidade de La Plata, Província de Buenos Aires. As Obras de Corbusier também receberam parecer favorável do ICOMOS.

Minha terceira chance é a TPH dos Estados Unidos: as Obras-Primas de Arquitetura Moderna de Frank Lloyd Wright, dentre as quais o prédio do Museu Guggenheim em Nova York, que tantas vezes eu já vi e visitei. Mas as outras obras estão espalhadas por cidades dos Estados Unidos, inclusive Los Angeles, cidade na qual eu nunca encontrei um só motivo, até hoje, para visitar.

Além destas, dois países podem ter inscrito seu primeiro PH: Antígua e Barbuda, no Caribe e os Estados Federados da Micronésia, na Oceania.  Eu nunca preciso de desculpa para ir ao Caribe, mas é sempre bom ter algum programa cultural para combinar com as praias, no caso, em Antígua e Barbuda. Vou torcer para que a inscrição dê certo.

Há, como sempre, aqueles lugares que eu passei perto mas que não considerei interessantes o suficiente para justificar a visita (ou não deu tempo!), como Zadar, na Croácia e algumas tumbas medievais na Croácia/Sérvia/Bósnia e Herzegovina/Montenegro.

China, Índia e Irã, como quase sempre, apresentam duas tentativas visando aumentar suas já imensas listas de PH e a China, estimo, em breve ultrapassará a Itália como o país com o maior número de PH.

Também estou contente com a provável inscrição de Gibraltar, enclave britânico no sul da Espanha, pelo seu inegável valor universal (Outstanding Universal Value).

Um dos meus países preferidos, a Tailândia, apresentou duas tentativas, mas consta que teria desistido do Parque Histórico de Phu Phrabat ante o parecer negativo do ICOMOS. Mantém a tentativa do Complexo de Florestas de Kaeng Krachan.

Vou acompanhar, há a transmissão inclusive ao vivo dos trabalhos, com discussões por vezes importantes sobre os novos PH em meio a muita “rasgação de seda” entre os representantes dos países e algumas discussões acaloradas entre países que se estranham (Israel e Palestina, Coreia e Japão, etc.).

Mais informações: http://whc.unesco.org/; http://www.worldheritagesite.org/years/fyear.php?year=2016

O link para o acompanhamento dos trabalhos do WHC é: http://whc.unesco.org/include/tool_stream.cfm com opção de línguas inglesa, francesa e turca.

Novos Patrimônios da Humanidade–2015-2

Em 2015, das 24 novas inscrições na Lista da UNESCO, 23 foram de PH culturais, com destaque para a Dinamarca, França, Turquia e Irã, com duas inscrições cada.

Os novos PH dinamarqueses (a Dinamarca agora tem 8) são pouco inspiradores: O assentamento morávio de Christianfeld e os Campos de Caça “par force” no norte da Zelândia. A França continua a inscrever regiões vinícolas: neste ano, a Borgonha e a Champagne.

Climats, terroirs of Burgundy

Os PH iranianos para mim são um completo mistério: Susa e a Paisagem Cultural de Maymand (o Irã agora alcança o notável número de 19 PH, o mesmo número do Brasil). Já os novos PH turcos revelam a justa inscrição de Éfeso (cidade importante para o Cristianismo) e o Forte de Diyarbakir junto com a Paisagem Cultural dos Jardins de Hevsel.

Ephesus

Israel inscreve mais um PH arqueológico: a Necrópole de Bet She’arim, ao passo que a Jordânia inscreveu Al-Maghtas, o lugar do Bastismo de Jesus em “Betânia, além do Jordão”. Soube que a delegação palestina protestou veementemente contra a Jordânia alegando que Cristo teria sido batizado na margem palestina (ocupada por Israel) do Rio Jordão e não na margem jordaniana – o Rio Jordão serve como fronteira. A Jordânia invocou o texto bíblico para justificar sua inscrição: de acordo com o Evangelho de João, Jesus teria sido batizado por João Batista em Betânia, “além” do Jordão, a indicar a margem direita do rio, no lado jordaniano. A visita, em 2014, do Papa Francisco a este lugar trouxe bastante prestígio a Al-Maghtas.

Baptism Site

A China agora tem na Lista os Sítios Tusi e a Arábia Saudita trouxe a Arte Rupestre da Região de Hail, ao passo que a Coreia do Sul inscreveu mais um lugar representativo de sua história: Baekje.

O Japão, ultimamente vem prestigiando sua história industrial (a fábrica de seda em Tomioka é um exemplo) e desta vez inscreveu os lugares ligados à Revolução Industrial da Era Meiji, situadas inclusive em Nagasaki. A Mongólia inscreveu a montanha sagrada Burkhan Khaldun. Cingapura inscreveu, como já disse aqui, os seus Jardins Botânicos.

Na Europa, ainda, a Alemanha com Speicherstadt e Kontorhaus e a Noruega com a herança industrial de Rjukan. No Reino Unido (Escócia), a famosa Ponte de Forth Bridge, marco da Revolução Industrial na Grã-Bretanha.

Forth Bridge

O novo PH italiano é uma notável adição: a arquitetura árabe-normanda de Palermo e as catedrais de Cefalù e Monreale. A Itália continua sendo o país com maior número de Patrimônios da Humanidade com 51 inscrições.

Arab-Norman Palermo

Na América, o Aqueduto Padre Tembleque (no Estado de México, México), As Missões de San Antônio no Texas, EUA e a Paisagem Cultural-Industrial de Fray Bentos, no Uruguai encerram as inscrições.

San Antonio Missions

Achei os acréscimos de 2015 muito pouco inspiradores e isto reforça em mim a ideia de que o melhor que o mundo tem a oferecer já foi inscrito na Lista da UNESCO, agora com 1.031 PH.

Novos Patrimônios da Humanidade–2015 – 1

A Lista de Patrimônios Naturais da Humanidade, neste ano de 2015, não receberá novas inscrições, foi a decisão do Comitê do Patrimônio Mundial, reunido em Bonn. As tentativas do Sudão, da Tailândia e da Rússia receberam um “deferral”, isto é, poderão ser no futuro reapreciadas acaso haja a apresentação de um dossiê mais bem justificado.

Admitiu-se a extensão de dois PH naturais (um na África do Sul e outro na Malásia) para incluir novas áreas protegidas e só.

Houve, porém, uma inscrição de um PH no critério misto: as Montanhas Blue e John Crow, na Jamaica. Pelo que já li a respeito, trata-se de uma área de florestas tropicais e florestas tropicais de altitude situadas próximas à capital Kingston, no único parque nacional jamaicano. É também o primeiro PH do país caribenho e vem agregar-se à minguada lista de PH no Caribe. Também li que o governo da Jamaica pretende diversificar os destinos turísticos do país, incrementando o interesse de visitantes para além das praias, então esta inscrição é coerente com o objetivo.

A longa lista de tentativas culturais será deliberada em seguida.

Reunião do Comitê do Patrimônio Mundial em 2015

A reunião anual do Comitê do Patrimônio Mundial – que delibera sobre os novos Patrimônios da Humanidade, os PH em perigo e as eventuais exclusões da Lista – reúne-se neste ano de 2015 em Bonn, antiga capital da Alemanha Ocidental, hoje uma cidade no Estado da Renânia-Vestfália, na República Federal da Alemanha entre os dias 28 de junho e 8 de julho.

A Lista das Tentativas que serão apreciadas é longa e há parecer favorável do ICOMOS/IUCN (órgãos técnicos consultivos) sobre a maioria deles.

Dois países aparentemente vão debutar na Lista da UNESCO: Jamaica e Cingapura – a tentativa de Cingapura é a única que eu visitei previamente (em 2014) e, confirmando-se sua inscrição, será meu PH n.º 192.

Os países mais entusiastas com a inscrição de Patrimônios da Humanidade, claro, continuam a marcar presença: Irã, China, França, Alemanha, Itália, Espanha e Grã-Bretanha provavelmente inscreverão novos PH – o italiano em especial pareceu-me muito interessante: os sítios históricos árabe-normandos de Palermo, na Sicília.

Também haverá, provavelmente, a primeira inscrição do Estado do Texas (EUA) e a Dinamarca tem chance de inscrever nada menos que 3 novos PH (dobrando em 2 anos a sua lista, que subiu de 4 para 8).

Na América Latina, Uruguai e México têm tentativas a serem apreciadas.

Vamos ver o que vai acontecer.

Segue abaixo a lista das tentativas de PH a serem deliberadas a partir do final deste mês (em inglês):

Natural sites:

  • Cape Floral Region Protected Areas [extension of the property Cape Floral Region Protected Areas] (South Africa)
  • Sanganeb Marine National Park and Dungonab Bay – Mukkawar Island Marine National Park (Sudan)
  • Landscapes of Dauria (Mongolia/Russian Federation)
  • Kaeng Krachan Forest Complex (Thaïland)
  • Phong Nha – Ke Bang National Park [extension of Phong Nha-Ke Bang National Park] (Viet Nam)

Mixed natural and cultural sites:

  • Montagnes Blue and John Crow Mountains (Jamaica)

Cultural sites:

  • Thimlich Ohinga Cultural Landscape (Kenya)
  • Nyero and other Hunter-Gatherer Geometric Rock-Art Sites in Eastern Uganda (Uganda)
  • Baptism Site “Bethany Beyond the Jordan” (Al-Maghtas) (Jordan)
  • Rock Art in the Hail Region of Saudi Arabia (Saudi Arabia)
  • Tusi sites (China)
  • Susa (Islamic Republic of Iran)
  • Sites of Japan’s Meiji Industrial Revolution: Iron and Steel, Shipbuilding and Coal Mining (Japan)
  • Great Burkhan Khaldun Mountain and its Surrounding Sacred Landscape (Mongolia)
  • Baekje Historic Areas (Republic of Korea)
  • Singapore Botanical Gardens (Singapore)
  • Cultural Landscape of Maymand (Islamic Republic of Iran)
  • Christiansfeld, a Moravian Settlement (Denmark)
  • Par Force Hunting Landscape in North Zealand (Denmark)
  • Viking Age Sites in Northern Europe (Denmark, Germany, Iceland, Latvia, Norway)
  • Climats, Terroirs of Burgundy (France)
  • Champagne Hillsides, Houses and Cellars (France)
  • Speicherstadt and Kontorhaus District with Chilehaus (Germany)
  • Naumburg Cathedral and the Landscape of the Rivers Saale and Unstrut Territories of Power in the High Middle Ages (Germany)
  • Bet She’arim Necropolis – A Landmark of Jewish Renewal (Israël)
  • Arab-Norman Palermo and the Cathedral Churches of Cefalú and Monreale ( Italy)
  • Rjukan – Notodden Industrial Heritage Site (Norway)
  • Monumental Ensemble of Târgu Jiu (Romania)
  • La Rioja and Rioja Alavesa Wine and Vineyard Cultural Landscape (Spain)
  • Diyarbakır Fortress and Hevsel Gardens Cultural Landscape (Turkey)
  • Forth Bridge (United Kingdom)
  • San Antonio Missions (United States)
  • Gelati Monastery [Significant boundary modification of “Bagrati Cathedral and Gelati Monastery”] (Georgia)
  • Routes of Santiago in Northern Spain [Extension of “Routes of Santiago de Compostela”] (Spain)
  • Ephesus (Turkey)Aqueduct of Padre Tembleque, Renaissance Hydraulic Complex in America (Mexico)
  • Fray Bentos Cultural-Industrial Landscape (Uruguay)